Biografia

Foto: Dinis Santos

Foto: Dinis Santos

 
 

Aline Frazão é um dos nomes sonantes da nova geração de músicos angolanos. Cantora, compositora, guitarrista e produtora, nasceu e cresceu em Luanda, em 1988, e vive actualmente também em Luanda. Além do seu trabalho musical, a cantora fez parte do painel de cronistas do jornal Rede Angola.

Em 2011 lançou o seu álbum de estreia, “Clave Bantu”. O disco é composto por um repertório autoral gravado em Santiago de Compostela com os músicos José Manuel Díaz e Carlos Freire. Conta ainda com duas parcerias inéditas com os escritores angolanos José Eduardo Agualusa e Ondjaki.

"Movimento", editado em 2013, é o seu segundo álbum, no que assina a produção musical. Desta vez, para além de dar música ao poema “Ronda”, de Alda Lara, Aline Frazão partilha a autoria de “Desassossego” com Carlos Ferreira, letrista, poeta e jornalista angolano. O disco foi lançado em maio de 2013, editado em Portugal pela PontoZurca e distribuido no resto da Europa pela Coast Company. Depois de apresentar o disco em Luanda, vieram as tournées internacionais e desde então, Aline teve a oportunidade de pisar palcos de países como Cabo-Verde, Quénia, Etiópia, Tanzânia, Alemanha, Brasil, Portugal, Suíça, Noruega, Áustria.

Aline Frazão editou “Insular”, o seu terceiro disco de originais. Gravado na pequena ilha escocesa de Jura, “Insular” conta com a produção do britânico Giles Perring e com a decisiva participação do guitarrista Pedro Geraldes (Linda Martini). Em “Insular” apresentam-se as novas parcerias, com a poetisa angolana Ana Paula Tavares e a rapper portuguesa Capicua, bem como uma versão de “Susana”, de Rosita Palma, com a participação especial de Toty Sa’Med.

A cantora está neste momento a preparar o seu próximo trabalho discográfico, com data prevista de lançamento para o último trimestre do ano de 2018. 

English

Aline Frazão (Luanda, 1988) is one of the most exciting up-and-coming Angolan musicians. Brought up in Luanda, she is a singer-songwriter, guitar player and producer who currently lives in Luanda. Apart from her music career, Aline also have collaborated with the digital newspaper Rede Angola, where she wrote a weekly column. 

Clave Bantu washer debut album in 2011, which was recorded in Santiago de Compostela with musicians Jose Manuel Díaz and Carlos Freire, presenting Aline’s original songs and featuring two collaborations with Angolan writers José Eduardo Agualusa and Ondjaki.

Her second full-length album Movimento (Movement) was launched in 2013 and saw Aline also take care of the production. The album includes Alda Lara’s poem “Ronda” as well as a partnership with Angolan songwriter, poet and journalist Carlos Ferreira in the song “Desassossego” (“Uneasiness”).  It was released in May by the Portuguese label PontoZurca and was distributed in Europe by Coast Company. After launching the album in Luanda, Aline toured worldwide, visiting a wide range of countries including Cape-Verde, Kenya, Ethiopia, Tanzania, Germany, Brazil, Portugal, Switzerland, Norwayand Austria.

Aline Frazão released her third album Insular in 2015; an album again featuring original compositions only. It was recorded in the Scottish island ofJura with British producer Giles Perring and the guitar player Pedro Geraldes (Linda Martini) who played a major role. Insular brings us new collaborations; they include Angolan poet Ana Paula Tavares and Portuguese rapper Capicua, as well as a cover version of Rosita Palma’s “Susana”, featuring Toty Sa’Med.

Apart from being on tour, Aline is currently working on her forth studio album.

 

Crítica | Portugal

"A forma como constrói canções densas mas apetecíveis, sempre dotadas de mensagem mas de absorção prazerosa, torna esta álbum numa viagem verdadeiramente encantatória. Um disco para ser descoberto com o mesmo cuidado e carinho com que claramente foi feito." - EXPRESSO | 5 Estrelas

"Insular é o magnífico e corajoso registo de uma cantora empenhada em redescobrir-se no risco." - PÚBLICO | 4 Estrelas

"Insular é feito da mesma matéria dos grandes discos de Paul Simon e Caetano Veloso, porque respira da mesma universalidade e sabedoria. É um caso sério esta rapariga de 27 anos, que finta as suas origens e as baralha com iguais doses de profundidade e simplicidade, tarefa a que muitos autores se dedicam mas poucos conseguem." - BLITZ | 4 Estrelas

" Sem perder a marca autoral, é música com mundo sem ser música do mundo. Um gesto como este só pode reacender a esperança e fazer crer que o amor ofusca o mal. Podia ser gospel mas é Aline Frazão a enterrar o machado de guerra." - DISCO DIGITAL | 4 Estrelas